São Bento do Sapucaí

Me inscrevi para essa prova faltando menos de um mês para ela acontecer... Tinha que voltar a treinar de alguma maneira.

Ok, não treinei mesmo assim.. Pelo menos não como deveria... Sempre vivendo perigosamente ;)

Além de fazer uma prova diferente, a ideia era sair um pouco da rotina de São Paulo. Aliás, abro um parênteses aqui (enjoei de correr "em casa").  Esse link de corrida e viagem é fantástico, aliás, esse ano as poucas provas que fiz praticamente foram todas fora da cidade de São Paulo. Há 10 anos que corro e já não tenho a mesma empolgação de correr as mesmas provas, nas mesmas ruas, nos mesmos lugares.

Fui para São Bento no dia da prova, já que ela aconteceria somente as 16hs. Reservei uma pousadinha que fica a 2km do centro da cidade, que aliás eu super recomendo. O dono (seu Elias) é um senhor extremamente simpático, a pousada é uma gracinha, super confortável, estilo meio rústico. Além de tudo o preço é justíssimo. Cheguei bem antes do horário do check-in e pedi para entrar antes. Ele até disse que eu poderia ter ido um dia antes que ele não me cobraria nada mais por isso ;) 
Quem se interessar o nome é da pousada é Rota dos Pássaros.








A cidade de São Bento do Sapucaí é muito pequena e pacata. Ótimo para quem quer descansar.

Assim que cheguei na pousada, descansei um pouco e por volta do meio dia sai para buscar o kit e almoçar.

Quando peguei o kit a pessoa me disse: "Olha, está previsto chover mais tarde, os trechos da corrida estão totalmente escorregadio por conta das chuvas da semana. Sugerimos que você vá com tênis com grampos nos pés"... Eu só dei risada e disse: "Que tênis? Eu vou ter que ir com fé e coragem mesmo, porque eu só tenho tênis de correr na rua".

Sai de lá pensando no que ela me disse, mas o que eu poderia fazer? Já estava lá, o jeito era encarar daquele jeito mesmo.

Na volta parei num restaurante chamado "Grão do Galo" para almoçar. Até pensei em tomar uma cervejinha para acalmar os nervos, mas ao mesmo tempo pensei que não fosse uma boa ideia.




Voltei para Pousada para descansar um pouco, mas é óbvio que no caminho me perdi!!! Que graça seria se eu não ficasse mais de meia hora procurando a pousada. O celular não tinha sinal para eu utilizar o gps e fiquei dando voltas na cidade e depois não sabia como voltar!

Precisei parar num mercado para comprar água e aproveitei para peguntar como eu fazia para chegar na pousada.

Tive uma horinha para descansar e por volta de 15 horas fui para a largada. Em 10 minutos já estava lá.. O céu escuro já estava dando alerta do que nos esperava na montanha.

Antes da largada, mal sabia o que me esperava
5 minutos antes da largada começou a chuva... 16 em ponto a chuva parou e foi dada a largada.

Pouquíssimas pessoas para a prova, mesmo havendo três distâncias: Curto (6k), Longo (12k) e Meia Maratona.

Eu estava inscrita no Longo, pensei: em duas horas estarei de volta (mal sabia o que me esperava). Realmente eu subestimei a prova.

Começamos a corrida no asfalto e logo pegamos uma estradinha de terra com subida. As pessoas já começaram a caminhar e eu fui no embalo. As subidas iniciais já eram pesadas para mim. A maioria dos participantes já estavam na minha frente e outros iam me ultrapassando... Logo pensei: "Fudeu".

Não demorou muito e um cara com um corpo bem atlético me passou e parou para dar uma respirada. Olhei para ele e pensei, nossa vários gordinhos na frente desse cara, ele tá ruinzinho mesmo kkkkkk

Aí eu brinquei com ele: "Caramba, o que eu estou fazendo aqui... A gente paga pra sofrer mesmo". Ele riu.

Antes do km 2
Aproveitei a companhia dele e perguntei se ele já tinha corrido em São Bento antes e ele disse que ele já tinha feito a Maratona pela manhã (7 horas de prova) e que naquele momento ele estava fazendo a meia maratona.

Quase cai rolando para trás.  Agora estava claro, pois se via que ele não tinha cara de amador.

Sei que não tinha chegado nem no km2 e eu já estava morta. Exausta."Ali já pensei: não vou encarar os 12k... Vou para nos 6 mesmo."

Continuamos subindo na estrada de terra e o Carlos foi me explicando mais sobre o percurso, pois ele já tinha feito pela manhã. Quando eu disse que ia parar nos 6k ele me incentivou continuar e que me ajudaria.

Ele me deu o bastão que ele estava usando e fomos subindo. Os trechos de subidas eram intermináveis e super escorregadios. 

Entre km 2 e km 3
Fomos subindo e conversando e ele ia me contando as histórias de ultramaratonas que ele já tinha feito ao longo de 20 anos! Baita experiência. Aliás ele estava lá pois no dia seguinte ele ia participar da premiação do ranking, onde ele era o terceiro colocado do geral. Bem chato...rs

Conforme fomos avançando os quilômetros a coisa foi piorando. Eu já estava com muitas dores nas coxas e panturrilhas. Tinha que subir com muitíssimo cuidado para não se estrupiar ladeira abaixo.

O Carlos que é bastante experiente em corridas de montanha disse que realmente o percurso estava bastante exagerado e difícil. (eu não estava exagerando!!!)

Quando chegamos mais ou menos no km 5, praticamente chegamos no topo. A vista era sensacional apesar de tudo nublado. Infelizmente a foto não consegue mostrar a beleza real do que se vê pessoalmente. Naquele momento eu vi que valeu todo o esforço de ter encarado os 12km.

Vista do km 5 

Começaram as descidas!
Pronto, as malditas subidas acabaram, chegou a hora que eu mais gosto, as descidas! NUNCA ODIEI TANTO DESCIDA NA MINHA VIDA .... kkkkkk

O Carlos estava num ritmo forte e falei para ele seguir em diante pois ele já tinha me ajudado bastante e que a partir dali eu me virava sozinha. 

O primeiro tombo eu ainda estava na companhia dele. Impossível! Comecei a rir e falei para ele seguir.

Tinha que ter muita técnica para descer, coisa que eu não tinha nada!!! 

Os quilômetros foram passando e era tombo atrás de tombo. Alguns trecho eu precisei descer "de bunda" senão eu iria rolar ladeira abaixo. 

Alguns corredores que estavam fazendo a meia maratona foram me ultrapassando com seus shorts todos lameados, ou seja, eu não era a única que tinha caído.

Eu ficava falando sozinha, xingando, rindo e contemplando aquele momento. 

Vista do km 8 
A descida cansava menos que a subida, mas era muito mais difícil. Parecia que eu tinha rolado na lama de tão suja que eu estava.

Cheguei perto de uma porteira onde tinha um senhor da staff. Olhei para ele e puf! Cai mais uma vez, ele riu.. não teve jeito. Aquilo parecia mais uma vídeo cacetada.

Mais adiante avistei uma mulher e um rapaz. Já estávamos chegando na estrada de aslfato, ou seja, 1km para acabar a prova. Nunca agradeci tanto a Deus... 

Eu devo ter sido a última a finalizar a prova no percurso longo. Completei os 12km em bem mais de 3 horas de prova.

A prova é nível "hard fodástico". Isso pelas subidas muito ingrímes, chuva e percurso todo escorregadio. Além do fato de eu não estar com tênis adequado e não ter treinado nem 1/4 do que eu precisaria ter treinado.

Mas valeu a pena. Esse é o tipo de prova que você fica ansiosa para chegar, durante a prova você se questiona milhões de vezes o que você está fazendo lá e quando acaba você vai correndo olhar o calendário para ver quando será a próxima.

Esses desafios me fazem crescer muito, pois me mostram que sou mais forte do que muitas vezes acredito ser. E isso eu estendo para a vida num todo. Sempre podemos mais, basta força de vontade, paciência. Quem quer faz!!!

Que venham muitas e muitas outras... pois de uma coisa eu tenho certeza, dessa vida eu não largo mais!

BONS TREINOS!

3 comentários

  1. ESTAVA COM SAUDADES DOS SEUS POSTS

    ResponderExcluir
  2. Sensacional seu relato! Adorei!
    Parabéns! Bem vinda a montanha!

    ResponderExcluir
  3. Picada pelo mosquitinho da montanha!!! hahahahaha
    Me diverti com seus tombos!!! Mas é normal viu, todo mundo cai mesmo hahahahahaha

    Bjs amore e bóra pras próximas!!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Será um grande prazer ler seu comentário!